Muito se tem ouvido falar da NR12 do Ministério do Trabalho, mas poucos sabem exatamente o que ela significa. Buscar medidas para garantir a proteção do colaborar dentro do ambiente de trabalho tem ganhado cada vez mais importância dentro do mundo corporativo. Os empregadores estão cada vez mais cientes de que um acidente de trabalho, além de prejudicar o funcionário, pode também afetar de forma negativa a organização em vários aspectos.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) garante ao empregado a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais por parte da empresa, através das Normas Regulamentadoras de Medicina e Segurança do Trabalho (NRs), visando segurança durante o período da prestação de serviços.

A nova NR12 promete revolucionar a proteção dos trabalhadores em relação a equipamentos industriais. Uma primeira olhada sobre o conteúdo já chama atenção pelo tamanho. Enquanto a versão anterior contava com um texto base de seis itens principais e mais dois anexos, um para motosserras e outro para cilindros de massa, a nova versão tem texto base com 19 itens principais, três apêndices, sete anexos e um glossário. São 14,5 mil caracteres, um total de cinco páginas, contra mais de 230 mil letras, o que proporcionalmente dará cerca de 80 páginas para a nova NR12. Dessa forma, traz explicações bem mais detalhadas sobre instalações e dispositivos de segurança.

Criada pela Portaria 3214, de 08 de junho de 1978, a NR12 sofreu a primeira alteração no ano de 1983. Em 1994, a norma ganhou o anexo de motosserras e, em 1996, o de cilindros de massas. Mais duas pequenas mudanças ocorreram em 1997 e em 2000. Já a publicação da nova NR 12 traz uma transformação total, alcançada de forma tripartite. O nome da norma também mudou. Agora chama-se NR12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos. Entre os vários segmentos atingidos pela norma, o setor de lavanderia esta entre os fiscalizados. Os equipamentos utilizados nas lavanderias devem atender a norma a fim de não sofrerem interdições causando sérios transtornos e investimentos inesperados em adequações de equipamentos.

O QUE ESTABELECE A NR12?

De forma resumida e simplificada e se tratando mais especificamente de equipamentos de lavanderias, a NR12 fala em medidas prevencionistas de saúde e higiene do trabalho,no que diz respeito instalação,manutenção e operação de maquinas e equipamentos. Determina as instalações e áreas de trabalho; distâncias mínimas entre as máquinas e os equipamentos; dispositivos de acionamento, partida e parada das máquinas e equipamentos. As maquinas devem atender aos princípios de falha de segurança, principalmente quando em fase de utilização.

A NR12 fala em seus primeiros artigos sobre medidas de proteção coletivas e individuais, instalações e arranjos físicos que tratam sobre as distâncias corretas entre as máquinas, os pisos devem ser resistentes e nivelados, limpos e livre de resíduos como óleos e graxas. Fala ainda sobre instalações e dispositivos elétricos, visando a segurança nas instalações elétrica das máquinas de modo a prevenir explosões, incêndios, choques e outros tipos de acidentes. Diz ainda que os quadros de energia devem ter porta de acesso sempre fechadas, ter sinalização, ser mantidas em bom estado de conservação, e atendam aos graus de proteção.

Em relação aos dispositivos de partida , acionamento e parada ela diz o seguinte:
Os dispositivos devem estar em áreas seguras e que possam ser utilizados em caso de emergência por qualquer pessoa, impedir uso acidental, não acarretar outros riscos ou serem burlados.Os comandos de partida ou de acionamento devem possuir dispositivos que não os permitam funcionar automaticamente. Quando utilizados devem possuir atuação síncrona, estar sob monitoramento, ter relação de sinais, o sinal de saída ser preciso, ter dispositivo de atuação intencional, a tensão aplicada nos quadros de comando ou painéis eletrônicos dos equipamento devem ser de até 25 volts em corrente alternada ou até 60 volts em corrente contínua.

Deve possuir proteções ou carenagens que impossibilitem o acesso ou contato do operador com partes e peças móveis do equipamento como engrenagens, polias, correias, motor e etc. Deve possuir dispositivos eletrônicos que impeçam abertura das portas enquanto o cesto, motor ou ambos estiverem em movimento, ou seja, em hipótese nenhuma a porta do equipamento pode ser aberta se houver qualquer tipo de movimento mecânico. É preciso muita atenção a estes dois últimos itens pois eles são fundamentais para garantir a real adequação a norma. Não basta apenas que o motor pare de funcionar no momento da abertura da porta do equipamento (lavadora, secador, centrifuga) e que o movimento seja interrompido simplesmente pela inércia, a norma determina que não pode abrir enquanto houver qualquer movimento.

CUIDADOS AO ADQUIRIR EQUIPAMENTOS NOVOS

É muito importante ter bastante atenção e cuidado no momento da compra de uma maquina nova de lavanderia. Todos os modelos de máquinas, desde as lavadoras de pequeno porte até as calandras de grande produção devem estar adequadas a NR12.

Atualmente nenhum equipamento importado e distribuído no Brasil diretamente ao cliente sem passar por um processo de nacionalização em fabricas do País está adequado a NR12 pois nenhum outro país possui normas tão rígidas quanto as estabelecidas aqui, por esse motivo, é muito fácil encontrar equipamentos importados que possam gerar transtornos aos proprietários de lavanderias.

Os fabricantes de maquinas de lavanderia estão correndo contra o tempo para adequar os seus produtos com a máxima urgência e sem perder eficiência, para evitar que o cliente tenha problemas durante uma eventual fiscalização do Ministério do Trabalho. É preciso muito cuidado no momento de escolher novos equipamentos para compra, escolher bem os equipamentos do fornecedor ou fabricante determinará a sua tranqüilidade no futuro, tanto com relação a segurança dos seus funcionários como em possíveis fiscalizações do Ministério do Trabalho.

INTERVENÇÕES DO MT

É de conhecimento geral, que fiscais do Ministério do Trabalho estão realizando intervenções em lavanderias de todos os portes em todo o País. Quando identificam equipamentos fora da norma, estes são interditados no ato e é concedido um prazo ao proprietário da lavanderia para proceder a adequação.

Infelizmente estas adequações não se aplicam exclusivamente a equipamentos novos ou comercializados após a data da promulgação da lei, mas sim para maquinas de qualquer idade, com qualquer tempo de uso desde que ainda esteja em operação na lavanderia. As adequações em equipamentos antigos é muito delicada, de difícil aplicação e onerosa, mas é preciso ser realizada para evitar interdições. Em equipamentos importados as adequações são muito mais complicadas caso não tenham sido adequados em fabricantes nacionais.

COMO IDENTIFICAR UM EQUIPAMENTO ADEQUADO?

No momento da escolha de um equipamento novo é importante conhecer o mínimo do que estabelece a NR12 para não acabar comprando gato por lebre. Os equipamentos devem atender as normas relacionadas acima, mas acima de tudo, ser construída com materiais e componentes que sejam homologados ou regulamentados pelo Ministério do Trabalho. De forma prática e de fácil compreensão, as principais características e adequações são:

Nos secadores:

– em hipótese nenhuma a porta do cesto pode ser aberta enquanto o cesto estiver em movimento;
– o secador deve possuir dispositivos de intertravamento QUE IMPEÇAM a abertura da porta enquanto o cesto estiver girando;
– não basta apenas desligar o motor se aporta for aberta, isso não atende a NR12;
– na porta deve ser instalada chave ou trava de segurança;
– deve estar instalado rele de segurança, tem a função de monitorar todos os dispositivos elétricos do sistema de segurança;
– as peças e partes móveis devem estar protegidas por carenagens para evitar o contato direto do operador com estas peças;
– chaves de emergência, de parada rápida são fundamentais;
– chave seccionadora responsável por desenergizar totalmente a maquina durante a manutenção;
– botão de reset para ativar o equipamento após desativação.

Nas calandras:

– o operador não pode ter acesso a nenhuma peça ou parte móvel do equipamento;
– deve estar instalado rele, com a função de monitorar todos os dispositivos elétricos do sistema de segurança;
– as peças e partes móveis devem estar protegidas por carenagens para evitar o contato direto do operador com estas peças;
– chaves de emergência, de parada rápida são fundamentais;
– chave seccionadora responsável por desenergizar totalmente a maquina durante a manutenção;
– botão de reset para ativar o equipamento após desativação.

Nas lavadoras:

– independente de serem lavadoras com ou sem barreira sanitária, convencionais ou extratoras, elas devem possuir dispositivos que impeçam o acesso ao cesto enquanto este estiver em movimento;
– não basta apenas desligar o motor se aporta for aberta, isso não atende a NR12, tem que haver a parada imediata do das peças móveis;
– na porta deve ser instalada chave ou trava de segurança;
– deve estar instalado rele de segurança, tem a função de monitorar todos os dispositivos elétricos do sistema de segurança;
– as peças e partes móveis devem estar protegidas por carenagens para evitar o contato direto do operador com estas peças;
– chaves de emergência, de parada rápida são fundamentais;
– chave seccionadora responsável por desenergizar totalmente a maquina durante a manutenção;
– botão de reset para ativar o equipamento após desativação;

Nas cetrífugas:

– possuir tampa de material resistente que impeça o acesso ao interior do cesto quando em movimento;
– deve possuir dispositivos de intertravamento que impeçam a abertura da tampa enquanto o cesto estiver girando;
– não basta apenas desligar o motor se aporta for aberta, isso não atende a NR12, tem que haver a parada imediata do das peças móveis;
– na porta deve ser instalada chave ou trava de segurança;
– deve estar instalado rele, com a função de monitorar todos os dispositivos elétricos do sistema de segurança;
– as peças e partes móveis devem estar protegidas por carenagens para evitar o contato direto do operador com estas peças;
– chaves de emergência, de parada rápida são fundamentais;
– chave seccionadora responsável por desenergizar totalmente a maquina durante a manutenção;
– botão de reset para ativar o equipamento após desativação.

À medida em que equipamentos são lançados no mercado, com evoluções tecnológicas, maior eficiência, cuidados ambientais e designs avançados, é fundamental também ter uma atenção especial a questão NR12.

De nada adiantará ter a ultima geração em equipamentos nacionais ou importados se estes não estiverem adequados a norma, mesmo o mais avançado equipamento será interditado pelo Ministério do Trabalho se os itens relacionados na Norma Regulamentadora NR12 não forme contemplados.

Portanto, muita atenção a partir de agora, procure o máximo de informação sobre o assunto e não deixe ser enganado por vendedores que não estejam preocupados em lhe oferecer benefícios como qualidade, segurança e produtividade, mas preocupados apenas em ‘tirar mais um pedido’. Estas são apenas algumas pequenas referencias que podem auxiliar no momento da compra.

Fonte: www.revistahotelnews.com.br
Autor: Marcelo Ribeiro Pinto é administrador de empresas, especialista em Marketing Comercial e gerente comercial da Suzuki Indústria de Máquinas. Contato: marcelo@suzuki.ind.br